O Estado e a revolução

a doutrina do marxismo sobre o Estado e as tarefas do proletariado na revolução

Vladímir Lênin

Coleção Arsenal Lênin Coleção Revolução Russa

R$ 39,00
Escrito entre agosto e setembro de 1917, em meio às perseguições do governo provisório encabeçado por Aleksandr Keriénski, este livro é o mais relevante estudo sobre o caráter do Estado desde as obras de Karl Marx e Friedrich Engels. Para concluí-lo, Lênin desbravou página a página os escritos sobre o Estado dos fundadores do materialismo dialético, notadamente A origem da família, da propriedade privada e do Estado, de Engels, e A guerra civil na França, de Marx.
 
Sua elaboração remonta a polêmicas no seio do partido bolchevique, em 1916, que motivaram o dirigente a confeccionar o caderno conhecido como O marxismo sobre o Estado (o “Caderno azul”). Nele, organizou inúmeras citações de Marx, Engels, Kautsky, Pannekoek e Bernstein, e fez observações e críticas que se tornariam a base de O Estado e a revolução. Essa obra, redigida meses antes da tomada do poder, só foi publicada no primeiro semestre de 1918. O autor revisou e ampliou o volume para a segunda edição russa, lançada no ano seguinte, dando-lhe a forma final.
 
Às vésperas do centenário da Revolução de Outubro, O Estado e a revolução ganha tradução inédita, feita diretamente do original em russo e revisada por Paula Vaz de Almeida. Inaugurando a coleção Arsenal Lênin, a edição cuidadosa traz diversas notas e comentários, além dos preciosos esboços preparatórios de Lênin que incluem planos para um último capítulo, jamais publicado, e outros anexos selecionados. A obra vem acrescida de cronologia, índice onomástico, apresentação de Marcos del Roio, posfácio de Maria Angélica Borges, e orelha de Marly Vianna.
 
O Estado e revolução é um livro fundamental, não só por explicitar o que seria um Estado do proletariado no poder, como por ser um verdadeiro laboratório sobre a práxis revolucionária, por mostrar como uma teoria sobre o Estado e a atuação no processo revolucionário permitiram formular a teoria do Estado da classe operária.
 
[Baseado na nota da edição e na orelha de Marly Vianna]
 
“Lênin restabeleceu a pureza da doutrina marxiana, captando-a, no que lhe diz respeito, de modo mais claro e concreto. a partir de então, a atualidade da revolução proletária deixou de ser apenas um horizonte histórico mundial, aberto sobre a classe trabalhadora em luta por sua libertação, para ser colocada na ordem do dia do movimento operário.” — György Lukács
 
“As ideias de O Estado e a revolução afinal chegaram a representar a posição mais utópica, libertária e antiestatista dentro do próprio pensamento de Lênin, assim como da teoria marxista subsequente.” — Wendy Goldman
 
“Mais do que nunca, devemos voltar a Lênin: a economia é o domínio-chave, a batalha será decidida lá, devemos quebrar o encanto do capitalismo global — mas a intervenção deve ser verdadeiramente política, não econômica.” — Slavoj Žižek